Projeto de Pesquisa-ação

Etapas da Pesquisa

Etapas de desenvolvimento da pesquisa

A pesquisa será desenvolvida na modalidade da pesquisa-ação, participativa e deliberativa, abrangendo instituições escolares compreendidas aqui como unidades sociais configuradas por múltiplas relações.

O percurso teórico-metodológico adotado rejeita a possibilidade de neutralidade científica, filiada a modelos de racionalidade que apregoam o distanciamento entre sujeito e objeto da investigação, e ressalta que os valores estão explícitos e ativos em todas as etapas da investigação-participativa (diagnóstico, elaboração e execução do plano de ação).

O estudo de campo será orientado por meio da pesquisa-ação, utilização da técnica de grupos focais e elaboração de questionário fechado de múltipla escolha e/ou aberto. Em relação à utilização da técnica de grupos focais, esses oferecem informações qualitativas, revela experiências, percepções, ideias, sentimentos e dificuldades vividas pelos grupos de entrevistados que explanam e/ou debatem um roteiro de perguntas socializando suas experiências e interagindo sobre suas ideias na perspectiva de desvendar o objeto de estudo, bem como revelar novos fenômenos.

Para esta fase da pesquisa será utilizado um roteiro de perguntas previamente construídas. Estão previstos os seguintes procedimentos e etapas:

a) Realização do grupo focal irá abranger estudantes entre 14 e 17 anos regularmente matriculados em 10 Escolas Públicas do ensino Médio distribuídas em cada uma das 10 Regionais que perfazem o Munícipio de Curitiba-PR;

O Grupo focal terá como variáveis norteadoras, as seguintes:

Grupo Focal

b) Aplicação de questionário fechado de múltipla escolha aos professores, aos funcionários das escolas aos familiares, pais e/ou responsáveis pelos adolescentes nos territórios de referência da instituição escolar.

Os pesquisadores responsáveis participaram da reunião na escola explicando os critérios para eleição da amostragem esclarecendo com relação ao Termo de Consentimento Livre e Esclarecido – TCLE.

Destaca-se que todas as instituições participantes da pesquisa serão esclarecidas quanto aos objetivos da mesma e serão convidadas a assinar o Termo de Autorização e receberão o Termo de Compromisso de Utilização de Dados – TCUD dos pesquisadores. Os adolescentes, seus pais ou responsáveis assim como os professores que participarem da pesquisa, após esclarecimentos quanto aos objetivos da pesquisa e sigilo dos nomes dos participantes ou de informações individuais, serão convidados a assinar o TCLE.

Para contribuir na condução dos grupos focais, será elaborado um instrumento com questões que possibilitem a reflexão e debate das categorias eleitas a priori. As reuniões dos grupos serão gravadas, se autorizadas pelos grupos. Posteriormente, os dados serão transcritos em tabelas tendo como preocupação o agrupamento por categorias e, na sequência, analisados por meio da técnica de análise de conteúdo. Após construção dessa primeira aproximação com as categorias, pretende-se convocar os grupos focais novamente e apresentar, para cada grupo, as primeiras interpretações dos dados da pesquisa, possibilitando aos sujeitos de pesquisa contribuírem com a interpretação e releitura destes dados. Os dados coletados juntos aos pais e/ou responsáveis pelos alunos e pelos professores, após análise tendo como referência as categorias eleitas a priori e aquelas que emergiram nos trabalhos com os grupos focais, serão apresentados aos mesmos em reunião a ser agendada na escola.

Quem participará dos grupos focais?

No tocante aos critérios de realização da primeira etapa da pesquisa, a eleição dos participantes está condicionada à limitação de recursos materiais e humanos disponíveis para a realização da pesquisa focal em todas as turmas existentes em cada escola. Neste caso, a opção foi estabelecer um critério para a definição do número de turmas e períodos existentes em cada escola, como segue:

Turma 1º ano – até duas turmas por período (manhã ou noite), realização de um grupo focal; e três turmas ou mais por período serão realizados 2 grupos focais;

i) Adolescentes do 1º ano que completaram 14 anos no dia 1 de março do ano;

ii) Adolescentes do primeiro ano com 15 anos ou mais;

iii) Estratificação por sexo/gênero na turma;

iv) Fator étnico racial;

v) Se estuda e trabalha. 

Os mesmos critérios, exceto a idade dos estudantes, serão considerados para a eleição dos participantes nos 2º e 3º ano do ensino médio.


Etapas de Realização da Pesquisa

A pesquisa será conduzida em diferentes fases e etapas para contemplar o objetivo proposto.

Primeira fase:

Realização de pesquisa focal junto às escolas selecionadas e que aceitaram a realização da pesquisa.

Etapa 1: Devolutiva do resultado da pesquisa focal (diretores, professores, funcionários, estudantes e seus familiares)

Após a compilação, análise e interpretação das informações obtidas junto aos estudantes do ensino médio, selecionados para a realização da pesquisa, os resultados serão comunicados a cada uma das instituições escolares as quais, após apreciação e escrutínio público das informações produzidas poderão, conforme o interesse, disponibilidade e condições de viabilização por parte das instituições escolares, servir de critério para a hierarquização dos problemas levantados e continuidade de realização da segunda etapa que prevê a oferta de curso de capacitação a comunidade escolar (professores, estudantes, funcionários administrativos) com foco em Direitos Humanos e práticas restaurativas.

Etapa 2: Definição e escolha dos problemas considerados mais relevantes e passíveis de solução, conforme os propósitos definidos no projeto de pesquisa.

A escolha dos temas mobilizadores decorre da evidência empírica com relação aos problemas e sua ressignificação de uma gama de interesses e valores que emergem da sociedade no interior das escolas, demandando novas formas de abordagem e estratégias educacionais, incluindo o desafio de pensar as violências nas escolas públicas do ensino fundamental e seu impacto nos processos educacionais.

Segunda Fase:

A partir da priorização dos problemas e conflitos encontrados na primeira fase da pesquisa, a segunda fase tem o intuito de tentar solucionar os conflitos por meio da não violência.

Etapa 1: Capacitação (1): Tribunal de Justiça do Paraná (2ª Vice-presidência) professores, estudantes, funcionários e familiares.

– Tema estruturante: Educação, Direitos humanos, democracia deliberativa, violência, práticas restaurativas, Mundo do Trabalho (SENAC/SEBRAE/FIEP)

  • Possibilidade de integrar uma disciplina no terceiro ano – convênio com empresas locais.

Etapa 2: Capacitação (2): agentes multiplicadores, conforme os conceitos, métodos e técnicas previstos no projeto de pesquisa: Adesão de professores/as (Colégios), estudantes do ensino médio e membros da comunidade externa que participação da 1ª fase de capacitação proposta

Etapa 3: Implementação: Escolas restaurativas com enfoque em direitos humanos. Professores envolvidos na pesquisa-ação e Tribunal de Justiça do Paraná (2ª Vice-presidência)

– Indicadores para mensurar a efetividade das ações:

a) gestão pacífica dos conflitos na escola;

b) redução da violência;

c) Melhoria da qualidade do ensino nas Escolas.